Nostálgico, não repetitivo - Resident Evil Revelations 2

quinta-feira, abril 30, 2015 |


Olá gente, tudo bem? Meu nome é Nívea e sou a nova "membra" da equipe aqui do blog! A Daia me chamou para vir falar sobre aqueles temas nerds mais pesados da vida, aqueles que viciam e que nos perseguem desde pequenos: videogames, HQ's, super heróis em geral, e aqueles conteúdos que a sua família olhava e falava "Poxa, ela não podia gostar de 'coisas de menina'?"

Pois é, não, a gente não podia! xD. Então, para começar, hoje eu vou falar sobre aquela série que fez todo mundo ter uns mini ataques cardíacos quando era mais novo: Resident Evil! Mais especificamente sobre o último título lançado, o Revelations 2, que faz parte de uma linha de jogos spin off (aqueles que não seguem a história principal, mas estão ligados a ela de alguma forma).

O primeiro zumbi a gente nunca esquece!

Bom, a princípio vale lembrar que nem todo mundo curte muito a linha de desenvolvimento que R.E. assumiu a partir do quarto título da série, onde os zumbis e o terror foram ficando de lado para dar lugar a uma trama que envolve conflitos políticos e armas biológicas inteligentes. Alguns fãs acreditam que isso seja uma perda de identidade. Pessoalmente, eu mesma não vejo muito como faria para manter inovadora qualquer franquia de jogos sem diversificar os adversários que o jogador vai encontrar, principalmente no que se refere a inteligência artificial.

Desavenças à parte, o que importa é que a nossa querida Capcom resolveu fazer uma série de R.E.s "paralelos", que visavam trazer de volta aquele clima de terror dos primeiros jogos aliado à trama de bioterrorismo que a série principal assumiu: A série Revelations teve seu primeiro título lançado para consoles de mesa em 2013, e há quem o considere um dos cinco títulos mais assustadores da série (E não estou falando de mim, que tomo sustos com quase qualquer coisa!).

O último título lançado da série Revelations, o Revelations 2, traz de volta uma personagem querida do público que conseguiu ficar sumida por mais tempo do que a Sherry Birkin, que a gente nem esperava que voltasse: A Claire, irmã do Chris, que, agora, além de mais velha está mais madura, mas continua cuidando de amiguinhas mais novas. Só não se preocupem, a amiguinha mais nova não tem nada a ver com a Ashley, que deu um trabalhão para o Leon em R.E.4.

Senhoras e senhores, Moira Burton!

Moira é filha do nosso também querido veterano Barry Burton (para quem não lembra, autor da célebre frase "You were almost a Jill Sandwich!") e, mesmo não tendo um bom relacionamento com o pai, as semelhanças de personalidade com ele são tão gritantes que Moira acaba sendo tão cativante quanto ele. Ela acompanha Claire durante sua jornada na ilha infestada de (olha o semi-spoiler!) cobaias que deram errado e se tornaram hostis, e da qual pretendem fugir o mais rápido possível.

E falando do Barry, ele também não poderia ficar longe do seu bebê mesmo com seus desentendimentos e, paralelamente à campanha de Claire e com seis meses separando as duas histórias, também tem sua campanha, na qual vai para a ilha onde Moira e Claire estão sendo mantidas. Barry também fica incumbido de uma certa missão de babá ao encontrar a jovem Natalia logo ao chegar na ilha.

Quando eu disse jovem, era jovem mesmo!

Mas não se preocupem com ela também, ela é bem mais útil que a Ashley! (Acho que a Capcom nunca mais faz outra que nem ela, fiquem tranquilos!) Natalia acompanha Barry em sua busca por Moira mesmo desprovida de grandes partes de sua memória, mas sendo capaz de enxergar inimigos ocultos e, ainda, de atacá-los com um tijolo! (Chora, Ashley!).

Apesar de ser uma sequência indireta de seu antecessor, fazendo sentido mesmo sem ele, Revelations 2 faz referências tão leves ao primeiro título que quase passam despercebidas. Contudo, para quem é fã da série desde o tempo em que o Wesker era parça, o jogo traz vários momentos de nostalgia óbvia o que, inclusive, é bem divertido!

É, ela também!

Além do clima sombrio, com cenários escuros, inimigos que surgem sem fazer barulho e músicas tensas, o jogo faz um trabalho ainda melhor que seu antecessor no que se refere ao resgate da nostalgia pois podemos ver oponentes com muitos traços humanos, (olha o spoiler) nos encontramos com mais sobreviventes agoniados, nos deparamos com mais bordões como esse (acontecem mais uma ou duas vezes se não me engano) e, no último capítulo da campanha de Barry ainda nos deparamos com um cenário muito familiar!

Super recomendo Resident Evil: Revelations 2, tanto para aqueles fãs mais saudosos da franquia, quanto para aqueles que eram muito novos quando o primeiro título foi lançado, mas querem ter uma experiência tensa o suficiente para dar aquele gostinho do primeiro jogo!

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM DE

0 comentários

Facebook

Twitter